Cinemas do Paraíso: Almeirim





Depois das férias, chegou a altura de viajar novamente por esse país fora...e a escolha recai sobre a zona da Estremadura, mais concretamente em Almeirim.
Como se pode imaginar, o cinema foi um grande acontecimento no nosso país quando surgiu na primeira década do séc. XX. A partir daí, o cinema foi se espalhando por várias localidades portugueses, como Almeirim, onde se registaram algumas experiências que iam cativando adeptos.
Em 1930, já existia a Associação Recreativa de Almeirim que tinha a seu cargo a manutenção do espectáculo cinematográfico, como também a realização de outros espectáculos, sendo eles exibidos no salão da Sede da Associação.
Nessa altura, as sessões eram feitas em dois lugares conforme as estações do ano: no Verão realizavam-se ao ar livre, no Inverno na sede da Associação na Rua 5 de Outubro.  Em Junho desse ano inaugurou-se o cinema ao ar livre, exibido nas antigas Cavalariças Reais, gentilmente cedidas pelos proprietários. Os grandes êxitos do cinema mudo eram acompanhados por uma orquestra, para gáudio do público. 
Anunciou-se entretanto a constituição de uma nova empresa que iria edificar um cinema com grandes comodidades, ficando situado numa artéria central da vila.
Em 1931 surge a noticia do aparecimento do cinema sonoro, o que obrigou em 1933 a que a Direcção da Associação se esforçasse para trazer o som para o equipamento utilizado. Foi adquirido um sistema Philisonoro que, apesar de alguns percalços iniciais, foi considerado o melhor aparelho sonoro do distrito.
Em 1933, o público galvanizou-se com a exibição do filme português "A Severa" e este sucesso fez com que a ideia de construção de uma nova sala de espectáculos ganhasse forma. E assim inaugurou-se o edifício do Cine Teatro na Praça da República em 16 de Junho de 1940 com a peça de teatro "A Inimiga", interpretada pela actriz Maria Matos. O primeiro filme exibido foi uma estreia em Portugal e intitulava-se "A Serenata de Schubert".
Segundo  Ulisses Pina Ferreira, o antigo gerente desta sala,  a máquina de exibição era a carvão. A combustão de dois palitos de carvão produzia a luminosidade necessária para projectar as imagens na tela. Esta máquina acabou por ser substituída na década de 1950 por outra que se manteve até ao encerramento da sala.
Também é interessante realçar o custo do bilhete em 1940: 5 escudos. Na plateia era mais barato, entre 4 escudos (2 cêntimos) e 1 escudo e 50 centavos. Também existiam vários bancos corridos em madeira destinados aos camponeses devido ao preço barato. 
O espaço albergava 599 pessoas, mas na maior parte do tempo existiam pessoas nos corredores e escadas, devido à afluência enorme. A maior parte da assistência era composta pelos fazendeiros que faziam marcações permanentes e lugares marcados.
Outra história interessante é de que a sala era vistoriada pela policia e bombeiros antes de se iniciar o espectáculo, de modo a garantir a segurança dos espectadores...se houvesse alguma cadeira oscilante, era certo de que não haveria espectáculo.
Por esta sala passaram grandes companhias teatrais de Lisboa e amadoras, exibindo ao longo dos anos muitos espectáculos agradáveis de teatro e variedades e sempre com grande interesse.
Na década de 1960, a grande atracção era a exibição de filmes de cowboys. Após o 25 de Abril, esta sala fartou-se de exibir os chamados "filmes proibidos", recuperando o tempo em que a ditadura controlava o consumo do povo. Depois vieram os filmes pornográficos. Mais tarde, a concorrência de salas mais modernas afastou este cinema das grandes estreias e dos filmes de sucesso, acabando por provocar o seu encerramento em 1993.
No entanto, o destino deste cinema foi a renovação e edificação. Um novo espaço foi erigido no mesmo local para possibilitar ao povo de Almeirim o direito a ter uma casa de espectáculo. Manteve-se a fachada original desenhada pelo Arq.º Amílcar Pinto, responsável também pelo Teatro Rosa Damasceno em Santarém.

1 comentários:

António Godinho disse...

Em:
http://cinemasparaiso.blogspot.pt/2012/09/cinemas-do-paraiso-almeirim.html
Começa-se por ler:
"Depois das férias, chegou a altura de viajar novamente por esse país fora...e a escolha recai sobre a zona da Estremadura, mais concretamente em Almeirim."

Almeirim não se situa na Estremadura, mas sim no Ribatejo.

 
Copyright 2009 Cinemas do Paraíso. All rights reserved.
Free WordPress Themes Presented by EZwpthemes.
Bloggerized by Miss Dothy