Águia de Ouro: clássico do Porto




1839 foi o ano em que  o Café Águia de Ouro abriu as suas portas ao público no Porto. Convém dizer que ilustres artistas frequentaram este espaço, tais como: Antero de Quental, Camilo Castelo Branco, etc. É importante realçar que esta sala começou por ser um teatro e só em 1908 é que adquiriu funções de cinema.



A novidade de então era o Cronomegaphone, considerado "o mais moderno aperfeiçoamento do cinematógrafo falante", não sendo cinema sonoro, já que este só apareceu 20 anos mais tarde. Ainda em Agosto de 1907, estreou o Cynematographo Edison sendo o espectáculo dividido em três partes e visto com um só bilhete, os preços para a altura eram bastante económicos; cadeiras 100 réis e galerias a 50 réis.
Em 1930 viria a inaugurar-se o cinema sonoro com o filme All That Jazz com Al Jolson. O Águia d'Ouro seria então considerada uma das melhores salas do Porto.




Em 1931 foi reaberto após obras de remodelação, tendo ficado com uma nova fachada, a actual e sustentando no seu pórtico o símbolo do seu nome, uma Águia de Ouro.















Em 1989, já com o café fechado e a ausência dos espectadores às salas de cinema, o Águia viu-se forçado a encerrar as portas, tendo sido comprado pela empresa Solverde com o objectivo de abrir um Bingo, tal como aconteceu ao Olympia, na Rua Passos Manuel.
Como esse projecto foi recusado pela Câmara, o espaço ficou ao abandono e com o passar do tempo tornou-se uma ruína em elevado estado de degradação. Em 2006, a Solverde colocou o imóvel à venda por três milhões de euros.








Foi feita uma campanha para salvar esta sala de cinema das ruínas, visto o estado vergonhoso a que chegou, devido à negligência quer da empresa, quer também das autoridades competentes que nunca quiseram saber do caso, como se pode ver neste link: http://www.cinemasdoporto.com/aguiadouro/index.htm.



No entanto em 201, o Hotel B&b Porto Centro recuperou este mítico edifício, recuperando a fachada datada da década de 1930. Além da remodelação que veio dar uma nova dinâmica à Praça da Batalha, também foram recuperados diversos objectos antigos no local, conferindo assim ao hotel o charme do antigo cinema. Suporte de partituras da orquestra, um microfone antigo, uma bobina, entre outros achados, pertencem agora à decoração do sofisticado hall do novo hotel. É importante referir que o cinema é que dá o mote para a decoração do novo espaço inserindo uma nova vida à história do local, com uma vasta colecção de fotografias de grandes actores da história do cinema.








Fonte: 

2 comentários:

Anónimo disse...

Como a vida não é só política, e eu procuro manter-me informado de outras coisas de Timor, fiquei muito contente por descobrir que já há cinema timorense. Pelo menos um filme.
O JP Esperança pôs o filme no blog dele. Podem ir lá ver.

http://jpesperanca.blogspot.com/2008/03/sirana-o-incio-do-cinema-timorense.html

Paula Cristina Gomes disse...

Olá!
Muitos parabéns pelo seu blog!
Fiquei muito interessada nas imagens que conseguiu recolher.
Será que podia contactar consigo através de email?
Obrigada,
Paula

 
Copyright 2009 Cinemas do Paraíso. All rights reserved.
Free WordPress Themes Presented by EZwpthemes.
Bloggerized by Miss Dothy